Governo Bolsonaro lança número de WhatsApp para denúncias e proteção dos direitos humanos, criança e da mulher

Os serviços telefônicos Disque Direitos Humanos – Disque 100 e Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência – Ligue 180 estão agora disponíveis também no WhatsApp. O aplicativo de mensagens privadas agora também pode ser utilizado como plataforma de denúncias de violações de direitos humanos e contra a mulher. Para fazer uma denúncia, basta enviar uma mensagem para o número (61) 99656-5008. Após resposta automática, você será atendido pela equipe da central única dos serviços. A denúncia será analisada e encaminhada aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos.

Segundo a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), a ampliação das plataformas mostra a preocupação em assegurar o atendimento efetivo a todos. “Os violadores de direitos humanos se modernizaram. O mesmo ocorreu com nossos canais de atendimento. Isso não poderia ser diferente. Essa é mais uma ação para dar um basta à violência no Brasil”, afirma.

Para o ouvidor nacional de direitos humanos, Fernando Ferreira, titular da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), que é responsável pelo Disque 100 e pelo Ligue 180, a integração dos canais ao WhatsApp é mais uma iniciativa em prol da efetivação do combate a violações de direitos humanos no país. “Estamos aumentando as alternativas para que os cidadãos possam contar com o Disque 100 e o Ligue 180. São ações que instituem uma ONDH de Estado”, disse.

Além do WhatsApp, os canais de atendimento do Disque 100 e do Ligue 180 podem ser acessados pelo site da Ouvidoria e por aplicativos como o Direitos Humanos Brasil (baixe na AppStore ou no Google Play). Em todas as plataformas, as denúncias são gratuitas, anônimas e recebem um número de protocolo para que o denunciante acompanhe o andamento. Qualquer pessoa pode acionar o serviço, que funciona diariamente, 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados.

Foto de capa: portal Gov.br; com informações do portal Gov.br

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar