Desabafo de ambulante agredido e humilhado por PMs enquanto vendia água nas ruas de SP causa revolta: ‘Tratado como bandido’

Um jovem pai de família, trabalhador desempregado por conta da pandemia de coronavírus, tentava ganhar o dinheiro para levar o pão para casa, vendendo água nas ruas de São Vicente em São Paulo, na última sexta-feira, dia 04 de dezembro.

Em entrevista, William Romão da Silva (25), contou as agressões e humilhação que sofreu enquanto trabalhava honestamente.

“Perdi tudo, eles me agrediram com soco na costela e um mata-leão, falando que iriam me levar para a delegacia. Mas eu falei que não entraria na viatura porque não estava fazendo nada de errado, só trabalhando. Jogaram spray de pimenta em mim, depois do mata-leão eu desmaiei e só acordei meio sonolento já quando estava indo para a viatura. Achei que iria morrer quando fui perdendo a consciência depois das agressões. Não me levaram no hospital, não fui ouvido pela polícia e tive que assinar um papel por desacato para ir embora.”

O autônomo foi levado à delegacia e liberado a seguir, sem um real no bolso encontrou uma mulher que estava em frente a delegacia e lhe ajudou a ir embora.

Depois do ocorrido, um advogado se disponibilizou para cuida do caso, e assim, não permitir que essa injustiça fique impune.

William está arrasado com tudo que aconteceu, segundo ele, havia outros ambulante pela redondeza, mas implicaram somente com ele, e o pior de tudo, sem motivo algum que possa justificar a atitude desses homens fardados.

Procurada, a assessoria de imprensa da Polícia Civil  e da Polícia Militar não se posicionaram sobre o caso até o momento desta edição.

com https://noticializando.com

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar