Prefeito e primeira-dama são achados mortos dentro de apartamento

Os corpos do casal estavam em um apartamento do condomínio Le Parc, localizado na avenida Paralela, em Salvador. Bastos era o chefe do executivo de Conceição da Feira (BA)

Ao UOL, a Polícia Civil informou que uma das linhas de investigação é que Bastos tenha atirado na esposa e, em seguida, cometido suicídio. Nenhuma outra hipótese, porém, está sendo descartada.

A princípio, os corpos dos dois foram localizados por volta das 11h, após uma equipe do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) ter sido acionada por moradores do residencial.

Ao chegarem ao condomínio, os agentes encontraram a porta do imóvel aberta. Logo depois, avistaram o casal no chão do apartamento. No local, também havia uma arma de fogo, que foi encaminhada para perícia. Não havia sinais de arrombamento.

Fim de mandato

Também conhecido como Pompílio Bastos, Raimundo da Cruz Bastos estava concluindo o seu segundo mandato como prefeito de Conceição da Feira, município de 23 mil habitantes e a 120 quilômetros de Salvador. Além da carreira política, ele atuava ainda como empresário.

Na eleição municipal deste ano, tentou emplacar como sucessora a atual vice-prefeita, Rosilda Bastos (PSD), que acabou derrotada por João de Furão (PSB). O presidente do PSD na Bahia, senador Otto Alencar, lamentou a morte do casal e afirmou que o correligionário era um importante quadro do partido.

“Lamento muito. É doloroso perder um amigo e sua esposa nessas circunstâncias. Fui surpreendido com o fato. Nenhum de nós, que conhecíamos o casal, esperávamos isso. Ele passa na história de Conceição da Feira como um dos melhores prefeitos; empreendedor, realizador, honesto, digno. Era muito amigo do casal”, disse em nota.

“Não sei as circunstâncias que levaram ao fato. Tinha sempre contato com ele e com a família. Quando soube foi um choque para mim, assim como para todos os seus amigos. Peço a Deus que possa confortar os familiares, filhos, a todos que o conheciam e o povo de Conceição da Feira. Uma tristeza sem fim”, escreveu Alencar.

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar