“Eu precisava pagar a boca de fumo”, disse a mãe que tentou vender o filho por R$ 200

Mãe é suspeita de tentar vender o filho para pagar dívida em boca de fumo

Durante a abordagem, segundo a conselheira, a mulher confessou ser usuária de drogas e confirmou a denúncia de ter tentado vender a criança.

O Conselho Tutelar de Manacapuru recebeu denuncia do oferecimento para venda de um bebê por parte da mãe e após averiguar a denúncia constatou o fato e encontrou a criança vivendo com a mãe em um local, avaliado pelo CT com insalubre para a permanência da criança no local.

O após o resgate da criança a conselheira que atendeu a ocorrência encaminhou o caso para a Polícia Civil e Ministério Público que passam a apurar o caso.

A mulher de 20 anos está sendo investigada em Manacapuru após a mesma tentar vendar o filho, um bebê de apenas 7 meses, por R$ 200 reais, supostamente para pagar uma dívida com o tráfico de drogas.

Moradores do local contaram ao CT que a mãe teria oferecido a criança para vizinhos alegando estar precisando do dinheiro para pagar a boca de fumo. Segunda Milca Ruíz, a mulher confessou as informações repassadas na denúncia.

“Nós recebemos essa denúncia onde uma mãe estaria tentando vender uma criança, o próprio filho, um bebê de 7 meses, por duzentos reais, para pagar uma dívida em uma boca de fundo, ela seria usuária de drogas, então, a gente foi até o local onde ela estava com essa criança, e esse local é de extrema vulnerabilidade, não tem as condições que uma criança precisa pra sobreviver, realizamos o resgate dessa criança, e entregamos para uma tia paterna que foi até ao Conselho Tutelar, inclusive essa tia já tinha tentando ajudar na criação da criança, mas segundo relatos da mesma, tudo que a mãe pegava, ela vendia para comprar droga”. Disse Milca Ruiz.

A denunciada confirmou a versão dos vizinhos e durante a abordagem confessou ser usuária de drogas e confirmou a denúncia de ter tentado vender a criança.

“Ela admitiu, e por esse motivo, infelizmente nós precisamos tirar a criança dela, nós comunicamos a Delegacia de Manacapuru e vamos noticiar o Ministério Público para que os órgãos possam acompanhar essa situação, e também comunicamos o Creas para um acompanhamento psicossocial de todo esse contexto familiar”. Ressaltou a conselheira.

Um Inquérito Policial foi instaurado e posteriormente será encaminhado à justiça. com http://www.ajknoticias.com

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar