Menina diz à polícia que Jairinho a torturou em motel

Um lugar com a parede escura, com uma cama, TV, banheiro, piscina do lado de fora. Para entrar, era necessário abaixar a cabeça dentro do carro. Assim a menor K.; que na época tinha entre 3 a 5 anos de idade, descreveu aos policiais da Dcav (Delegacia da Criança e Adolescente Vítima) um dos locais em que foi levada, sozinha, por Jairo Souza, o Dr. Jairinho.

Nesse quarto, a possível descrição de um motel, K. disse que foi obrigada a ficar nua, entrar debaixo do chuveiro, e teve sua cabeça batida contra a quina da parede por diversas vezes por Jairinho, que vestia apenas uma sunga. Segundo a menina, não houve abuso sexual.

No relato, realizado no último dia 23 de abril, a jovem, agora com 13 anos, relembrou diversas agressões que Jairinho teria praticado entre os anos de 2010 a 2013, inclusive uma que resultou em um braço engessado. Na época, Jairinho namorava N., sua mãe, que tinha 19 anos. A narrativa consta no relatório policial enviado ao Ministério Público, na sexta-feira, e obtido com exclusividade pelo DIA. A promotora do caso, Eliza Fraga, denunciou Jairinho por tortura majorada, no mesmo dia.

Fonte: Jornal O Dia

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar