Bolsonaro revoga portaria e Maduro pode vir para a posse de Lula

Numa reviravolta inesperada até mesmo para os assessores mais próximos de Luiz Inácio Lula da Silva, o governo de Jair Bolsonaro revogou na manhã desta sexta-feira um decreto que impedia que membros da administração de Nicolas Maduro entrassem em território nacional.

No final da semana passada, a reportagem do UOL revelou que Lula havia desistido de ter no dia 1 de janeiro a presença do presidente da Venezuela. O motivo era uma portaria ainda de 2019 emitida por Jair Bolsonaro que impedia que o governo de Caracas entrasse em território nacional.

Por semanas, a equipe de transição e o governo Bolsonaro negociaram uma revisão da lei. Mas houve uma recusa por parte do Palácio do Planalto. A situação foi inclusive explicada para Maduro que, em conversas reservadas, indicou que entendia a situação. Lula, porém, queria toda a América do Sul reunida em Brasília, num gesto simbólico da retomada do processo de integração regional.

Numa portaria publicada no Diário Oficial e assinada pelos ministros Antonio Ramirez Lorenzo (Justiça) e Carlos França (Relações Exteriores), fica revogada a portaria que impedia a entrada de autoridades venezuelanas, de 19 de agosto de 2019.

Uma opção seria o envio de uma delegação chefiada pela vice-presidência. Caracas, segundo a coluna apurou, começou já a preparar uma missão e, ainda nesta sexta-feira, deve determinar quem representará o governo bolivariano na posse.

Num total, cerca de 60 delegações estarão em Brasília.

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.