Jovem fica entre a vida e a morte após tomar ‘pílula do dia seguinte’: paradas cardíacas e tromboembolismo

A maquiadora Laís Amaral, de 25 anos de idade, vem ganhando repercussão nas redes sociais por conta de seus relatos sobre sequelas deixadas pelo uso da chamada “pílula do dia seguinte”, comercializada livremente nas farmácias do país como método contraceptivo de emergência. A jovem desenvolveu uma trombose no pulmão e viu a sua vida ficar por um fio por conta dos efeitos adversos.

Em entrevista concedida ao portal BHAZ, Laís explica que o diagnóstico de tromboembolismo ocorreu no ano de 2016. Àquela altura, havia sofrido duas paradas cardiorrespiratórias, além de ter ficado 12 dias em coma. Antes da internação, a maquiadora começou a sentir sintomas estranhos em seu corpo, incluindo muito enjoo, até que um dia desmaiou no banheiro de casa, colidindo a cabeça.

“Assim que o enfermeiro fechou a ambulância, ele ficou de costas para mim, e eu acabei tendo a minha primeira parada cardiorrespiratória, na frente da minha mãe. Ela desesperada começou a gritar pedindo ajuda, e aí eles conseguiram me reanimar”, recordou Laís sobre um dos momentos mais críticos vividos pelo uso do fármaco.

Logo na chegada ao hospital, Laís foi acometida pela segunda parada cardiorrespiratória. Por sorte, os médicos conseguiram agir rapidamente, poupando a sua vida. Todavia, exames de imagem constataram uma mancha em seu cérebro decorrente da queda, sendo a provável causa de seu coma por 12 dias.

No dia em que acordou do coma, a maquiadora, que estava intubada, vomitou, causando um episódio de broncoaspiramento. Trata-se do incidente no qual o paciente respira o próprio vômito, o qual vai parar dentro dos pulmões. Por conta disso, os médicos precisaram fazer uma incisão com vistas a retirar o líquido, o qual totalizou cerca de 750 mL.

“Eu tive pancreatite, acabei pegando uma bactéria, tive pneumonia, fiz 7 sessões de hemodiálise e tive falência múltipla dos órgãos. Fiquei 30 dias na UTI [Unidade de Terapia Intensiva] e 9 na enfermaria”, lembrou a jovem.

Pílulas contraceptivas como causa dos problemas de saúdeExames realizados em Laís concluíram que o uso de anticoncepcional combinado com pílula do dia seguinte foram as responsáveis pelo tromboembolismo pulmonar que lhe acometeu. Após os problemas que enfrentou, levantou a bandeira em suas redes sociais, alertando outras jovens sobre a potencialidade dos riscos decorrentes do uso da medicação.

De acordo com a médica ginecologista e obstetra Júlia Farias, ouvida pelo BHAZ, o uso de pílulas do dia seguinte deve ser evitado ao máximo, sendo o método a ser recorrido somente em última instância.

Os casos de tromboembolismo, por sua vez, não acometem todas as mulheres, e têm relação com pessoas que possuem predisposição genética. Por isso, é importante ficar atenta para casos que porventura tenham ocorrido em alguém da família, sendo um fator de risco para desencadear a complicação.
Com informações do site: BHAZ

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar