Polícia pede retrato falado de funcionários que agrediram mulher no Mix Mateus

A Delegacia Especial da Mulher pediu o retrato falado dos funcionários do grupo Mateus que agrediram Jacqueline Débora Costa de Oliveira dentro de uma sala do Mix Atacarejo, localizado no Araçagy.

O pedido foi assinado pela delegada Karla Daniele Moraes Ribeiro, que é responsável pelo caso, e encaminhado ao Instituto Criminalística do Maranhão (Icrim). A vítima foi chamada para relatar os traços dos agressores. O laudo do retrato falado não tem data para ser concluído.

Jacqueline Débora também foi encaminhada ao Centro de Referência à Violência contra a Mulher para ter atendimento psicólogico devido ao trauma que sofreu.

No dia 21, a vítima de 42 anos denunciou que foi agredida de forma brutal por um segurança e dois funcionários do grupo Mateus em 20 de julho após ser confundida com uma ladra. O caso foi divulgado com exclusividade pelo Blog do Neto Ferreira.

Em entrevista, Jacqueline relatou com detalhes toda a agressão que sofreu por mais de 1h em uma sala da unidade do estabelecimento. Ela contou que foi torturada, agredida com ripa e xingada de vagabunda, ladra e miserável (reveja)

O Grupo Mateus emitiu nota sobre o caso. “Informamos que foi montada uma sindicância para apurar o caso e reforçamos, de antemão, que a conduta relatada não condiz com os nossos procedimentos e valores. Nos colocamos inteiramente à disposição das autoridades para esclarecimentos”.

Neto Ferreira 

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.