Skatista maranhense Rayssa Leal faz história e conquista medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio

A madrugada desta segunda-feira (26) foi difícil para os céticos. Quem não acreditava em magia e em contos de fadas teve que repensar sua opinião após uma histórica prova realizada no Parque de Esportes Urbanos de Ariake, em Tóquio, no Japão. Conhecida como “Fadinha do Skate”, a maranhense Rayssa Leal, de apenas 13 anos, que saiu de Imperatriz para conquistar o planeta com seu carisma e talento, deu um show e faturou a medalha de prata na disputa do skate street feminino nos Jogos Olímpicos, se tornando a atleta brasileira mais jovem a subir ao pódio em mais de 100 anos de participação do país no maior evento multiesportivo do mundo.

Com um sorriso aberto, maturidade emocional e sem sentir qualquer tipo de pressão, mesmo sendo a atleta mais jovem a defender o Brasil em uma Olimpíada, Rayssa Leal mostrou um desempenho espetacular já na fase classificatória do skate street. A maranhense garantiu presença entre as oito finalistas da prova em terceiro lugar, com a nota 14,91, atrás apenas das japonesas Funa Nakayama e Momiji Nishiya. Rayssa, inclusive, foi a única brasileira na final do skate street, já que as compatriotas Pâmela Rosa e Letícia Bufoni não conseguiram classificação. Em poucos minutos, a Fadinha superou a tristeza pela eliminação das amigas e usou isso como motivação em uma final emocionante até a última manobra.

A nossa mais jovem atleta medalhista olímpica! @Rayssa_Leal_Sk8 🧚‍♀️💚💛#OlimpíadasNaGlobo pic.twitter.com/kXYkGdDD4v

Mesmo na disputa mais importante da carreira, onde cada detalhe poderia fazer a diferença e a pressão parecia ser quase insuportável, Rayssa Leal tirou de letra. Tranquila e feliz, como se estivesse nas pistas de Imperatriz, a skatista maranhense colecionou boas manobras, contou com erros das principais adversárias e ficou muito perto da medalha de ouro, que acabou nas mãos de Momiji Nishiya, que também tem 13 anos e teve um desempenho espetacular, o que valoriza ainda mais o feito de Rayssa.

A conquista de Rayssa Leal melhora a campanha do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. Antes do pódio da maranhense, a delegação brasileira garantiu uma medalha de prata com Kelvin Hoefler, na disputa do skate street masculino, e foi medalha de bronze com o judoca Daniel Cargnin, atleta da categoria até 66kgs.

Com a medalha de prata em Tóquio 2020, Rayssa Leal se tornou a terceira atleta nascida no Maranhão a subir ao pódio nos Jogos Olímpicos. Antes da skatista, a zagueira Tânia Maranhão foi medalhista de prata no futebol em Atenas 2004 e Pequim 2008, enquanto o velocista José Carlos Moreira, o Codó, faturou a medalha de bronze no revezamento 4x100m em Pequim 2008. Na ocasião, o Brasil ficou em quarto lugar na prova, mas Codó e seus companheiros subiram para o terceiro lugar após a Jamaica ser eliminada por doping do velocista Nesta Carter e foram premiados em novembro de 2019, em evento realizado na cidade de Lausanne, na Suíça.

1º – Momiji Nishiya (Japão) – 15.26
2º – Rayssa Leal (Brasil) – 14.64
3º – Funa Nakayama (Japão) – 14.49
4º – Alexis Sablone (Estados Unidos) – 13.57
5º – Roos Zwetsloot (Holanda) – 11.26
6º – Wenhui Zeng (China) – 9.66
7º – Margielyn Arda Didal (Filipinas) – 7.52
8º – Aori Nishimura (Japão) – 6.92

com https://imirante.com/

Leave a Reply

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.